Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

António Góis

Livros, Autores e tudo à volta

António Góis

Livros, Autores e tudo à volta

Arthur Conan Doyle para além de Sherlock Holmes

Avatar do autor António Góis, 02.06.20

Conhecido mundialmente pelas suas histórias de Sherlock Holmes, escreveu cerca de sessenta histórias e dois romances com as aventuras do personagem, Arthur Conan Doyle deixou-nos, no entanto, um legado literário que vai mais além do detective do 221de BackerStreet.

Arthur Conan Doyle, para além de Sherlock Holmes.

Deixou-nos nomeadamente ensaios, The War in South Africa: Its Causes and Conduct (1902), The Case of Mr. George Edalji (1907), e The Case of Oscar Slater (1912), para só falar de alguns.

De entre outras obras que escreveu, existe a série de romances com o personagem Professor Challenger, tanto quanto sei, composta por cinco volumes. De entre esta série de romances, o mais famoso será sem dúvida The Lost World (O Mundo Perdido), publicado em 1912.

O Mundo Perdido, é um clássico do romance de aventuras que ainda hoje inspira escritores e cineastas em todo o mundo. A acção do romance é localizada na Amazónia e narrada por um jovem jornalista.

É, pois, este jovem jornalista de seu nome Malone, que nos narra as aventuras do excêntrico e carismático Professor Challenger que pretende provar a existência de um mundo pré-histórico escondido naquela zona.

São vários os incidentes que acontecem durante a exploração, desde a descoberta de animais e plantas supostamente extintos, até ao confronto com as tribos selvagens e desconhecidas que habitam a zona.

O Mundo Perdido, como era usual na altura, foi primeiro publicado como folhetim (na revista britânica Strand Magazine), e só depois editado em formato de livro.

O Professor Challenger, viria ainda a ser utilizado por Conan Doyle noutras obras como, A nuvem envenenada" (The Poison Belt) (1913), A terra das brumas" (The Land of Mist) (1926), A máquina da desintegração" (The Disintegration Machine) (1927), e Quando o mundo gritou (When the World Screamed) (1928),  mas nenhuma destas obras atingiria o sucesso de O Mundo Perdido.