Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

António Góis

Livros, Autores e tudo à volta

António Góis

Livros, Autores e tudo à volta

Hemingway e os Extraterrestres

Avatar do autor António Góis, 03.07.20

Hemingway e os Extraterrestres.jpg

Ernest Hemingway era um tipo no mínimo curioso. Viveu muito tempo em Cuba, fumava charutos, bebia que se fartava e, entre duas carraspanas, escrevia livros com títulos tão alegres como As Verdes Colinas de África, As Neves do Kilimanjaro ou Paris è uma Festa. Não andasse eu tão ocupado a escrever uma obra-prima de ficção científica, que por acaso também tem um título bem alegre, Os cães não ladram aos extraterrestres, e haveria de ler um ou outro livro do tipo.

Numa manhã de ressaca deu um tiro na cabeça! O Hemingway, quero eu dizer. Mas não sem antes ganhar o Prémio Nobel, logo a seguir a ter escrito um livro chamado O Velho e o Mar onde havia um velhote que um dia foi á pesca e apanhou um peixe tão grande que não conseguiu mete-lo dentro do barco. Mais olhos que barriga estava-se mesmo a ver.

O título para o livro, surgiu-me quando vi na televisão o anúncio em que uma Senhora dizia que às tantas da madrugada ouviu ladrar os cães no quintal e eram os extraterrestres que lá andavam a roubar as ameixas. Vai daí, ela que já tinha feito negócio com o Senhor da compal, pega na enxada e dá-lhe tantas que nem o Luisão nos jogadores adversários. Parece que ameixas não levaram nem uma!

O meu amigo M, que é um tipo versado nestas coisas, diz que aquilo não tem pés nem cabeça, porque os cães nunca ladram aos extraterrestres, e dai eu ter tido a ideia original de dar este título à minha obra-prima. Ao Hemingway, tanto quanto sei, nunca as bebedeiras lhe deram para escrever ficção científica.